5 sinais de que meu filho pode estar envolvido com drogas

Depressed teenager talking with a mature psychologist, light interior

Muitos dos sinais apresentados quando um adolescente começa a se envolver com drogas são confundidos com características normais da adolescência. Os pais acabam deixando passar sinais importantes dando a si mesmos a explicação “isso deve ser de fase. Sabe como são os adolescentes…”. E, com essa justificativa, acabam deixando a situação se agravar sem buscar auxílio.

Ao observar estes sinais, é importante ficar atento e investigar se não estão associados ao consumo de drogas:

1) Queda no desempenho escolar

A diminuição do interesse pelos estudos, queixas da escola sobre o aluno e queda das notas são uma constante entre os adolescentes que iniciam o consumo de drogas. Os pais que acompanham de perto a vida escolar do filho têm mais facilidade de identificar e investigar isso precocemente.

2) Amizades “suspeitas”

É da natureza humana estar em conformidade com o meio. Todos sofremos influência do grupo no qual estamos inseridos. O adolescente de forma potencializada. Portanto, ao iniciar o consumo de drogas, é natural que o adolescente se afaste de amizades que não compartilham desse interesse e passe a andar cada vez mais com colegas que também usam. O ditado “dize-me com quem andas e te direi quem és” expressa uma verdade demonstrada por importantes estudos da Psicologia Social. Veja, como exemplo, o famoso experimento de Asch sobre “conformidade social”.

3) Mudanças de hábitos de sono

É comum que o adolescente usuário de drogas comece a trocar o dia pela noite. Ficar acordado até tarde utilizando computador ou celular e acabar prejudicando as atividades do dia seguinte é um fato comum associado ao consumo de drogas. Isso pode acontecer durante a adolescência também por outros motivos que não as drogas. Independente do motivo, essas mudanças sempre devem ser objeto da atenção dos pais.

4) Distanciamento afetivo

Normalmente o distanciamento afetivo já existe antes do início do uso de drogas, mas com o início do uso ele é intensificado. O filho usuário tende a se fechar mais, a passar menos tempo com a família, a conversar menos e a dar respostas mais evasivas. Essa é uma característica comum na adolescência independente do uso ou não de drogas, mas deve-se dar especial atenção para o aumento da intensidade desse padrão.

5) Aumento do “desinteresse” pela vida e aumento do interesse por temas relacionados a droga.

É comum observar uma boa dose de desmotivação concomitante ao consumo inicial de drogas. A perda do interesse por atividades que valorizava, como esportes, estudos, lazeres, programas familiares muitas vezes é acompanhada por um crescente interesse em temas relacionados à maconha, como argumentos a favor da legalização, questionamentos sobre o real prejuízo causado por ela, acesso a sites e conteúdos que defendem e promovem o consumo da droga.

 

Outros sinais comumente associados ao início do consumo de drogas são o aumento de razões para estar fora de casa, pedir mais dinheiro que o normal, agressividade, inquietação ou sonolência sem razão aparente.

O que fazer ao observar esses sinais?

A melhor opção é procurar um profissional capacitado na área. Qualquer ação isolada e fora de contexto pode, além de não ajudar, atrapalhar. As ações adequadas sempre estão conectadas a um contexto maior e partem de uma perspectiva técnica e não emocional. A capacitação dos pais através do contato com um profissional capacitado é fundamental.

 

Continue Lendo

Comente